Biografia

 

María Felix nasceu no dia 25 de agosto de 1907 na cidade de Albelda (Huesca, Espanha).

Seus pais, Dom Ramón e Dona Florentina, estavam preocupados em que ela recebesse uma boa educação, e por isso cursou o segundo grau como aluna interna na escola da Companhia

de Maria, em Lleida. Lá, aos 14 anos, viveu pela primeira vez a experiência dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola. Nesse momento ela sente muito intensamente o amor e a chamada do Senhor, e sua resposta, como podemos ler em seu diário, não pode ser mais clara e mais decidida: “Eu sou sua, completa e conscienciosamente, para sempre”.

Diante da oposição de seus pais à sua vocação religiosa, iniciou seus estudos universitários e obteve, em 1930, o diploma em Ciências Químicas pela Universidade de Zaragoza. Ela sabe que  Deus a quer para Ele, mas não sabe aonde nem como sua vocação será realizada. Seu desejo, enquanto elucida a vontade de Deus sobre ela, é dedicar-se ao apostolado entre as jovens estudantes. No dia 15 de agosto de 1934, junto a sua primeira companheira, Carmen Aige, faz um voto privado para dedicar sua vida em benefício das almas e ao serviço da Igreja. A maior glória de Deus, seguindo Cristo e unido a Ele, torna-se o motivo de sua existência.

Pouco a pouco, começam a acompanhá-la outras jovens universitárias. Em Barcelona, ​​em

1940, recebem permissão para viver em comunidade e, em 1952, são recebidas pela Igreja como uma Congregação Religiosa de Direito Diocesano. Em 1986, a Companhia do Salvador foi aprovada pela Santa Sé como Instituto de Direito Pontifício.

Durante 18 anos, a Madre Maria Felix Torres atende suas irmãs como Superiora Geral. Deus lhe atribuiu dentro de sua Igreja a missão de promover a educação cristã da juventude, especialmente a universitária. Para este fim, abre na Espanha e na América os Colégios Mater Salvatoris, que transmitem o carisma que o Senhor lhe concedeu: adesão ao Papa, amor terno pela Santíssima Virgem e fazer dos jovens um fermento evangélico permanente na sociedade, para trazê-la a Jesus Cristo.

Até a su morte, no dia 12 de janeiro de 2001, na Cúria Geral, em Madri, a Madre Maria Félix é a verdadeira “alma e mãe” da Congregação, embora tenha vivido uma vida tão discreta que poucos sabiam que ela foi sua Fundadora. Após sua morte, multiplicam-se os testemunhos de pessoas que rememoram os aspectos extraordinários de sua vida, confiando-lhe suas orações e atribuindo-lhe favores à sua intercessão. Sua Causa de Canonização, iniciada em Madrid em 2009, encontra-se agora em sua fase romana.